Tri­pu­lan­tes do INEM mul­ta­dos em ur­gên­cia

RADARES r Téc­ni­cos e en­fer­mei­ros re­ce­bem con­tra­or­de­na­ções em ca­sa por ex­ces­so de ve­lo­ci­da­de nas am­bu­lân­ci­as COIMAS r Va­lor das mul­tas po­de che­gar aos 300 eu­ros e dá ain­da per­da de pon­tos

Correio da Manha - - Primeira Página - JOÃO CAR­LOS RO­DRI­GUES NO­TÍ­CIA EX­CLU­SI­VA DA EDI­ÇÃO EM PA­PEL

Os so­cor­ris­tas têm por mis­são sal­var pes­so­as em ris­co, mas es­tão no­va­men­te a re­ce­ber mul­tas por ex­ces­so de ve­lo­ci­da­de ao volante de am­bu­lân­ci­as em mar­cha de ur­gên­cia. Só es­ta se­ma­na fo­ram no­ti­fi­ca­dos téc­ni­cos e en­fer­mei­ros do INEM afe­tos a uni­da­des de s aú­de de A l ma d a , d o Mé d i o T e j o , Por­ti­mão, Fa­ma­li­cão e Gu­ar­da, en­tre ou­tras, pa­ra pa­ga­rem as coimas que po­dem che­gar até 300 eu­ros. Mas há tam­bém uma agra­van­te: se não apre­sen­ta­rem de­fe­sa – a ex­pen­sas pró­pri­as – per­dem ain­da pon­tos na car­ta de con­du­ção, que é im­pres­cin­dí­vel pa­ra po­de­rem tra­ba­lhar.

Os au­tos de con­tra­or­de­na­ção es­tão a ser en­vi­a­dos pe­la Au­to­ri­da­de Na­ci­o­nal de Se­gu­ran­ça Ro­do­viá­ria (ANSR) pa­ra ca­sa dos con­du­to­res das Vi­a­tu­ras Mé­di­cas de Emer­gên­cia e Re­a­ni­ma­ção (VMER) que fo­ram apa­nha­dos pe­lo ra­dar em vá­ri­os pon­tos do País quan­do se­gui­am em mar­cha de ur­gên­cia.

P o r n o r ma as car­tas eram en­vi­a­das pa­ra o INEM, que as­su­mia a responsabilidade, in­for­ma­va a ANSR que se tra­ta­va de uma emer­gên­cia e o pro­ces­so era ar­qui­va­do. Mas o pro­ce­di­men­to foi al­te­ra­do no iní­cio des­te ano. A con­tes­ta­ção dos ope­ra­ci­o­nais do INEM le­vou a reu­niões com a ANSR, que em abril ga­ran­tiu que a si­tu­a­ção es­ta­va re­sol­vi­da.

Con­fron­ta­do com o pro­ble­ma, o INEM es­cla­re­ceu on­tem que “de­ve­rão tra­tar-se de pro­ces­sos an­ti­gos só ago­ra des­po­le­ta­dos pe­las en­ti­da­des com­pe­ten­tes, e que ain­da di­zem res­pei­to a con­tra­or­de­na­ções que se ve­ri­fi­ca­ram an­tes des­te pro­ces­so ter fi­ca­do acor­da­do com a ANSR”.

O CM pe­diu es­cla­re­ci­men­tos à ANSR, que não res­pon­deu. E o pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal dos Téc­ni­cos de Emer­gên­cia Pré-Hos­pi­ta­lar dis­se que “é al­go que não faz sen­ti­do e que o INEM tem de re­sol­ver”. “Não po­dem des­cul­par-se com o fac­to de as vi­a­tu­ras se­rem con­si­de­ra­das pro­pri­e­da­de das uni­da­des de saú­de”, diz Nél­son Ba­tis­ta.

ANSR GA­RAN­TIU EM ABRIL QUE ES­TAS MUL­TAS NÃO SE­RI­AM PROCESSADAS

1Vi­a­tu­ras se­gui­am em mar­cha de ur­gên­cia quan­do fo­ram de­te­ta­das no ra­dar 2Car­ta en­vi­a­da a um dos tri­pu­lan­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.