Igual­da­de ou tal­vez não

Os pais ain­da ou­vem ex­pres­sões se­xis­tas em am­bi­en­te in­fan­til e pre­o­cu­pam-se com o pro­ble­ma.

Destak - - Atualidade - CARLA MARINA MENDES cmen­des@des­tak.pt

Ai­gual­da­de do gé­ne­ro co­me­ça ce­do. Ou de­via, atra­vés da edu­ca­ção. E a es­ma­ga­do­ra mai­o­ria(96,8%)dos­pais­por­tu­gue­ses sa­be dis­so. Ain­da as­sim, da te­o­ria à prá­ti­ca vai um lon­go ca­mi­nho, re­ve­la o I Es­tu­do Ima­gi­na­rium de Edu­ca­ção e Gé­ne­ro. E se 59,9% ad­mi­tem ter com­pra­do brin­que­dos, dis­far­ces ou rou­pas que não cor­res­pon­dem ao gé­ne­ro dos fi­lhos, 62,9% não es­con­dem a pre­o­cu­pa­ção com o fac­to de es­tes po­de­rem ser al­vo de cha­co­ta se le­va­rem pa­ra a escola uma rou­pa não con­si­de­ra­da pró­pria pa­ra o seu gé­ne­ro.

A es­te da­do jun­ta-se ou­tro: 38,4% dos pais e mães con­fir­mam ter si­do tes­te­mu­nhas de ex­pres­sões co­mo «por­ta-te co­mo um ho­mem» ou «coi­sas de me­ni­nas» em con­tex­tos in­fan­tis. Já no que diz res­pei­to às ami­za­des das cri­an­ças, uma tam­bém es­ma­ga­do­ra mai­o­ria (98,4%) não se pre­o­cu­pa que os ami­gos se­jam do se­xo opos­to.

Brin­que­dos pa­ra eles e elas

O inqué­ri­to, fei­to jun­to de mais de du­as mil­pes­so­as,olhou­tam­bém­pa­ra­os­brin­que­dos. E re­ve­la que os puzz­les e jo­gos de cons­tru­ção são os brin­que­dos pre­fe­ri­dos das cri­an­ças (27,8%), se­gui­dos dos jo­gos de es­ti­mu­la­ção (19,4%), in­de­pen­den­te­men­te do gé­ne­ro. Es­te ad­qui­re mais im­por­tân­cia com o cres­ci­men­to, com 24,6% das me­ni­nas a es­co­lhe­rem «brin­car com bo­ne­cas» e 17% dos ra­pa­zes a op­ta­rem pe­los «car­ri­nhos».

©DR Qu­an­do cres­cem, as me­ni­nas pre­fe­rem as bo­ne­cas e os me­ni­nos os car­ri­nhos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.