Mi­lha­res de atos ci­rúr­gi­cos adi­a­dos

En­fer­mei­ros fa­lam em 6000 ci­rur­gi­as que fo­ram can­ce­la­das; ad­mi­nis­tra­do­res hos­pi­ta­la­res ga­ran­tem que do­en­tes se­rão acau­te­la­dos; mé­di­cos es­tão pre­o­cu­pa­dos.

Destak - - Atualidade - JOÃO MONIZ Com Agên­cia Lu­sa

Che­ga ho­je ao fim uma se­ma­na de gre­ve dos en­fer­mei­ros, sem apa­ren­tes si­nais de avan­ço nas ne­go­ci­a­ções en­tre Go­ver­no e sin­di­ca­tos. Es­tes pro­fis­si­o­nais de saú­de têm ho­je uma úl­ti­ma de­mons­tra­ção de for­ça e união, com uma ma­ni­fes­ta­ção que po­de­rá ter­mi­nar em fren­te ao Par­la­men­to.

Com os efei­tos para os do­en­tes por con­ta­bi­li­zar, o Sin­di­ca­to dos En­fer­mei­ros (um dos dois que or­ga­ni­zou o pro­tes­to, en­quan­to um ter­cei­ro fi­cou de fo­ra) avan­ça que seis mil ci­rur­gi­as de ro­ti­na fo­ram adi­a­das, o que dá uma mé­dia de 80 a 90 ator ci­rúr­gi­cos que fi­ca­ram por re­a­li­zar em ca­da gran­de hos­pi­tal. Sem apon­tar um nú­me­ro con­cre­to, a As­so­ci­a­ção dos Ad­mi­nis­tra­do­res Hos­pi­ta­la­res ad­mi­tiu que fo­ram adi­a­das «cen­te­nas» de ci­rur­gi­as.

«Os hos­pi­tais vão re­sol­ver os pro­ble­mas des­tes do­en­tes as­sim que pu­de­rem», ga­ran­tiu à Lu­sa o pre­si­den­te da­que­le or­ga­nis­mo. Ainda as­sim, o bas­to­ná­rio dos Mé­di­cos ad­mi­tiu «al­gu­ma pre­o­cu­pa­ção». «Na­tu­ral­men­te que as gre­ves têm sem­pre al­gum pre­juí­zo la­te­ral para os do­en­tes», ex­pli­cou Mi­guel Gui­ma­rães, que ape­la a um acor­do en­tre as par­tes.

O res­pon­sá­vel pe­de um en­ten­di­men­to «equi­li­bra­do den­tro das pos­si­bi­li­da­des do país», apon­tan­do uma «re­mu­ne­ra­ção me­lhor» dos en­fer­mei­ros es­pe­ci­a­lis­tas co­mo uma das rei­vin­di­ca­ções jus­tas. Só que, tu­do in­di­ca, es­ta se­rá uma das áre­as on­de um com­pro­mis­so se­rá mais di­fí­cil de atin­gir. Até por­que, nas con­tas do Go­ver­no para o pró­xi­mo ano, já es­tá in­cluí­do um mai­or gas­to com a clas­se.

Tra­ta-se do des­con­ge­la­men­to das car­rei­ras na Fun­ção Pú­bli­ca. Os en­fer­mei­ros são uma das 40 clas­ses que vão ser abran­gi­dos pe­la me­di­da que vai en­trar em vi­gor com o Or­ça­men­to de Es­ta­do de 2018. Se­gun­do um re­la­tó­rio do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças, 27 584 en­fer­mei­ros não são ava­li­a­dos des­de 2010, fi­can­do ‘con­ge­la­dos’ pro­fis­si­o­nal­men­te. Al­te­rar es­sa re­a­li­da­de custa 23 mi­lhões de eu­ros.

En­fer­mei­ros têm fei­to vá­ri­as con­cen­tra­ções e ho­je or­ga­ni­zam ma­ni­fes­ta­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.