Mui­to por fa­zer pa­ra li­dar com a di­a­be­tes

Mais de um mi­lhão de por­tu­gue­ses so­frem com es­ta do­en­ça e qu­a­se me­ta­de não o sa­be. As­so­ci­a­ções avan­çam vá­ri­as me­di­das pa­ra com­ba­ter os efei­tos da do­en­ça.

Destak - - Atualidade - JOÃO MO­NIZ jmo­niz@des­tak.pt

Es­ti­ma-se que em Por­tu­gal sen­si­vel­men­te 13% da po­pu­la­ção so­fre de di­a­be­tes, cu­jo Dia Mun­di­al se as­si­na­la ho­je. en­tre os por­tu­gue­ses (pou­co mais de um mi­lhão, en­tre os quais mais de 3300 cri­an­ças) afe­ta­dos por es­ta do­en­ça, cer­ca de 400 mil não es­tão di­ag­nos­ti­ca­dos. Ou se­ja, so­frem os efei­tos sem sa­ber.

Além dis­so, a ten­dên­cia é pa­ra um au­men­to sig­ni­fi­ca­ti­vo nos pró­xi­mos anos, no­me­a­da­men­te até 2025. Daí que a So­ci­e­da­de Por­tu­gue­sa de Car­di­o­lo­gia es­te­ja pre­o­cu­pa­da com es­ta «in­ci­dên­cia ver­da­dei­ra­men­te pre­o­cu­pan­te», pois a di­a­be­tes é con­si­de­ra­da um equi­va­len­te de do­en­ça car­di­o­vas­cu­lar e um dos fa­to­res de ris­co mais im­por­tan­tes.

Pa­ra a As­so­ci­a­ção dos Jo­vens Di­a­bé­ti­cos de Por­tu­gal, é fun­da­men­tal dis­po­ni­bi­li­zar bom­bas in­fu­so­ras (e for­ma­ção pa­ra uma uti­li­za­ção efi­ci­en­te) e aces­so ao tra­ta­men­to e con­tro­lo ade­qua­do pa­ra to­dos. Por ou­tro la­do, há que des­mis­ti­fi­car a di­a­be­tes e co­nhe­cer os nú­me­ros re­ais de pes­so­as com di­a­be­tes ti­po 1.

Já a As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Po­do­lo­gia aler­ta pa­ra a ne­ces­si­da­de de in­te­grar es­ta es­pe­ci­a­li­da­de nos cui­da­dos de saú­de pri­má­ri­os pa­ra re­du­zir as ta­xas de am­pu­ta­ção em Por­tu­gal: de 5,4 por 100 mil ha­bi­tan­tes, sen­do a zo­na Nor­te a mais afe­ta­da.

Dis­po­ni­bi­li­zar bom­bas in­fu­so­ras, com a for­ma­ção de­vi­da, é um pas­so ful­cral

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.