Po­la­cos per­di­dos en­tre os Sil­vas

André e Ber­nar­do mar­ca­ram, Ra­fa pro­vo­cou au­to­go­lo. Com es­te triun­fo, Portugal pro­va que vi­ve sem Ro­nal­do e es­tá mui­to per­to de ga­ran­tir a vi­tó­ria no seu gru­po.

Destak - - DESPORTO - JOÃO MO­NIZ jmo­niz@des­tak.pt PORTUGAL

Res­pos­ta ca­bal. Mui­to se fa­lou nos úl­ti­mos di­as da au­sên­cia de Cris­ti­a­no Ro­nal­do da Li­ga das Na­ções, mas on­tem os jo­ga­do­res es­co­lhi­dos por Fer­nan­do San­tos mos­tra­ram que há mui­to ta­len­to pa­ra além do evi­den­ci­a­do pe­lo ca­pi­tão. Mais do que promessas, há uma ge­ra­ção de cer­te­zas que man­tém Portugal na 1ª li­nha das se­le­ções eu­ro­pei­as.

Per­so­na­li­za­da, a Se­le­ção Na­ci­o­nal não te­ve pe­jo em as­su­mir as ré­de­as do jo­go. Fer­nan­do San­tos não gos­ta de o ad­mi­tir, mas es­ta equi­pa es­tá mais man­do­na. Wil­li­am Car­va­lho, Rú­ben Ne­ves e Piz­zi as­se­gu­ram, mais do que pres­são e des­trui­ção, bom tra­to da bo­la a meio-cam­po. Se a is­so jun­tar­mos o ta­len­to su­per­la­ti­vo de Ber­nar­do Silva e as ar­ran­ca­das alu­ci­nan­tes de João Can­ce­lo, Portugal fi­ca com cla­ra tra­ção à frente.

Es­ta op­ção re­pre­sen­ta um ris­co, que on­tem se viu nas bo­las pa­ra­das. Foi num can­to que a Po­ló­nia inau­gu­rou o mar­ca­dor, quan­do na­da ti­nha fei­to por is­so. Só que a tal pre­dis­po­si­ção 2ª JOR­NA­DA ata­can­te de­pres­sa cor­ri­giu a in­jus­ti­ça. Uma jo­ga­da, be­lís­si­ma de tão sim­ples, sob o la­do di­rei­to en­tre Ber­nar­do, Can­ce­lo e Piz­zi per­mi­tiu que es­te sur­gis­se jun­to à li­nha fi­nal a fa­zer uma as­sis­tên­cia que André Silva apro­vei­tou com a eficácia que vem de­mons­tran­do es­ta épo­ca.

De­pois foi Rú­ben Ne­ves, com ex­ce­len­te vi­são, a des­cor­ti­nar a des­mar­ca­ção de Ra­fa (que pas­sou de não con­vo­ca­do há uns di­as pa­ra ti­tu­lar fa­se à in­dis­po­si­ção gás­tri­ca de Bru­ma), que for­çou o de­fe­sa con­trá­rio a mar­car na pró­pria ba­li­za. Nu­ma jo­ga­da in­di­vi­du­al, Ber­nar­do vez o 3-1 lo­go no iní­cio da 2ª par­te e pra­ti­ca­men­te sen­ten­ci­ou o en­con­tro.

A Po­ló­nia es­go­tou as al­te­ra­ções de­pres­sa, ain­da re­du­ziu mas Portugal fa­lhou qua­tro ou cin­co go­los que po­di­am ter da­do ou­tra tran­qui­li­da­de. Não que a Po­ló­nia ti­ves­se ame­a­ça­do por aí além – ape­nas dois re­ma­tes pe­ri­go­sos. Com es­te triun­fo, Portugal tem ago­ra 6 pontos em 2 jo­gos. Se Po­ló­nia e Itá­lia, que têm 1 pon­to, em­pa­ta­rem es­te do­min­go no 3º jo­go de am­bas, a Se­le­ção Na­ci­o­nal as­se­gu­ra au­to­ma­ti­ca­men­te a vi­tó­ria no gru­po 3 da Li­ga A e a pre­sen­ça na fa­se fi­nal.

Ra­fa res­pon­deu bem a um pas­se de Rú­ben Ne­ves, ain­da se atra­pa­lhou, mas a sua ação bas­tou pa­ra Glik fa­zer au­to­go­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.