Diario de Noticias - DN + Dinheiro Vivo

Or­ça­men­to de 2021 en­gor­da des­pe­sa com pes­so­al do Es­ta­do em 421,6 mi­lhões

- — MARIA CAETANO Business · Socialist Party · Social Democratic Party · Partido Progressista · National Action Party (Mexico) · Abraham mateo

Mais de dois ter­ços do va­lor se­rá con­su­mi­do com no­vas con­tra­ta­ções. Aco­mo­dar su­bi­da do sa­lá­rio mí­ni­mo não de­ve ir além de 25,5 mi­lhões. Mas sin­di­ca­tos que­rem mais e já têm reu­niões mar­ca­das no par­la­men­to.

A con­tra­ta­ção de mais 5550 no­vos fun­ci­o­ná­ri­os e o no­vo sub­sí­dio pa­ra os tra­ba­lha­do­res da saú­de ex­pli­cam gran­de par­te da su­bi­da da des­pe­sa com pes­so­al do Es­ta­do em 2021, mas ain­da não ex­pli­cam tu­do. Há pe­lo me­nos 97 mi­lhões de eu­ros apa­ren­te­men­te sem des­ti­no cer­to na pro­pos­ta do Or­ça­men­to pa­ra o pró­xi­mo ano que con­ti­nua a ser ne­go­ci­a­da no par­la­men­to. Os sin­di­ca­tos da fun­ção pú­bli­ca per­sis­tem na ex­pec­ta­ti­va de mai­o­res va­lo­ri­za­ções sa­la­ri­ais. O re­la­tó­rio que acom­pa­nha a pro­pos­ta de Or­ça­men­to apre­sen­ta­da pe­lo go­ver­no na úl­ti­ma se­ma­na mos­tra que as no­vas me­di­das ins­cri­tas, sem efei­tos de op­ções de anos an­te­ri­o­res, vão im­pli­car des­pe­sas adi­ci­o­nais com pes­so­al no va­lor de 421,6 mi­lhões.

A di­fe­ren­ça é en­con­tra­da na com­pa­ra­ção da pre­vi­são to­tal de au­men­to da des­pe­sa com pes­so­al na Ad­mi­nis­tra­ção Cen­tral de 832,4 mi­lhões de eu­ros cons­tan­te da pro­pos­ta de or­ça­men­to, e as con­tas fei­tas em agos­to pe­lo Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças pa­ra o Qu­a­dro de Po­lí­ti­cas In­va­ri­an­tes (a pre­vi­são de au­men­to de en­car­gos sem quais­quer no­vas me­di­das). Es­ta­va en­tão em 410,8 mi­lhões de eu­ros, em gran­de par­te ex­pli­ca­dos pe­lo efei­to das pro­gres­sões, pro­mo­ções e con­ta­gem de tem­po de ser­vi­ço nas car­rei­ras es­pe­ci­ais, co­mo as dos pro­fes­so­res (333 mi­lhões).

Con­tra­ri­a­men­te ao que su­ce­deu com o Or­ça­men­to de 2020, a pro­pos­ta de Or­ça­men­to pa­ra 2021 não traz o va­lor do au­men­to da des­pe­sa com pes­so­al de­ta­lha­do nas su­as com­po­nen­tes. Mas é des­de lo­go pos­sí­vel ex­cluir o efei­to de pro­gres­sões e des­con­ge­la­men­to de tem­po de ser­vi­ço de anos an­te­ri­o­res, en­glo­ba­do já no va­lor de 410,8 mi­lhões.

Quan­to ao re­ma­nes­cen­te, os 421,6 mi­lhões de eu­ros, é pos­sí­vel cal­cu­lar, com ba­se nos da­dos do go­ver­no, quan­to cus­ta o bo­lo de no­vas me­di­das anun­ci­a­das pa­ra a Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, ex­cluin­do even­tu­ais au­men­tos. O va­lor ron­da­rá os 300 mi­lhões de eu­ros, con­tan­do 210 mi­lhões pa­ra re­for­ço do em­pre­go pú­bli­co na saú­de e na edu­ca­ção, 60 mi­lhões de eu­ros pa­ra o sub­sí­dio de ris­co dos pro­fis­si­o­nais de saú­de na li­nha da fren­te de com­ba­te à pan­de­mia, e seis mi­lhões de eu­ros pa­ra mais 261 tra­ba­lha­do­res no INEM. Além dis­so, há que con­tar com mais mil téc­ni­cos su­pe­ri­o­res que de­ve­rão en­trar na Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca após a cons­ti­tui­ção de uma bol­sa de re­cru­ta­men­to em con­cur­so, num cus­to com sa­lá­ri­os e con­tri­bui­ções so­ci­ais que não de­ve­rá ir além dos 21 mi­lhões de eu­ros. E, por fim, com mais 60 ins­pe­to­res es­ta­giá­ri­os da Au­to­ri­da­de pa­ra as Con­di­ções do Tra­ba­lho, o que não de­ve­rá cus­tar mais de 1,6 mi­lhões de eu­ros.

As­sim, até 71% da su­bi­da é ex­pli­cá­vel por no­vas con­tra­ta­ções e pe­lo no­vo sub­sí­dio de ris­co da saú­de. Já a even­tu­al des­pe­sa com au­men­tos, ca­so o go­ver­no se li­mi­te a acom­pa­nhar a su­bi­da do sa­lá­rio mí­ni­mo na ba­se re­mu­ne­ra­tó­ria da fun­ção pú­bli­ca, não de­ve­rá ex­ce­der os 25,5 mi­lhões de eu­ros (as­su­min­do que o sa­lá­rio mí­ni­mo na­ci­o­nal pos­sa al­can­çar os 660 eu­ros em 2021).

So­bra ain­da as­sim um mon­tan­te de 97 mi­lhões de eu­ros não ex­pli­ca­do pe­las prin­ci­pais me­di­das da pro­pos­ta. O Di­nhei­ro Vi­vo ten­tou ob­ter jun­to do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças e do Mi­nis­té­rio da Mo­der­ni­za­ção do Es­ta­do e da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca in­for­ma­ção so­bre o au­men­to das des­pe­sas com pes­so­al e des­ti­no do va­lor não ex­pli­ca­do, mas não ob­te­ve res­pos­ta até à ho­ra de fe­cho des­ta edi­ção.

Sin­di­ca­tos na AR

Na pró­xi­ma se­ma­na, os sin­di­ca­tos da fun­ção pú­bli­ca pre­pa­ram-se pa­ra ba­ter à por­ta do par­la­men­to, on­de pros­se­guem as ne­go­ci­a­ções pa­ra a vi­a­bi­li­za­ção do Or­ça­men­to do Es­ta­do, pa­ra pe­dir mai­or va­lo­ri­za­ção dos tra­ba­lha­do­res da fun­ção pú­bli­ca no do­cu­men­to.

A Fe­sap tem já reu­niões mar­ca­das com PS, BE e PSD pa­ra os di­as 21 e 22, e aguar­da res­pos­ta dos res­tan­tes gru­pos par­la­men­ta­res: PCP, CDS-PP e PAN. “Sa­lá­rio mí­ni­mo ou­tra vez na Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, sem cor­ri­gir a ta­be­la re­mu­ne­ra­tó­ria úni­ca, é a mai­or in­jus­ti­ça que se po­de fa­zer a quem tra­ba­lha, e tra­ba­lha há mui­tos anos na Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca”, diz o se­cre­tá­rio-ge­ral, Jo­sé Abraão.

Des­de 2019 que a ba­se re­mu­ne­ra­tó­ria da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca dei­xou de ser o sa­lá­rio mí­ni­mo, com o pri­mei­ro ní­vel re­mu­ne­ra­tó­rio no em­pre­go pú­bli­co a fi­car em 635,07 eu­ros nes­se ano, e já em 2020 a pas­sar aos 645,07 eu­ros, num au­men­to ex­tra­or­di­ná­rio de dez eu­ros aos sa­lá­ri­os mais bai­xos que tam­bém be­ne­fi­ci­ou o ní­vel se­guin­te da ta­be­la re­mu­ne­ra­tó­ria na mes­ma me­di­da, man­ten­do-se uma di­fe­ren­ça pro­por­ci­o­nal pre­vis­ta na lei. Os au­men­tos, pa­ra 150 mil tra­ba­lha­do­res, cus­ta­ram 26 mi­lhões de eu­ros.

Mas, ca­so o go­ver­no vol­te nes­te ano a fi­xar que a ba­se de sa­lá­ri­os da fun­ção pú­bli­ca cor­res­pon­de ao sa­lá­rio mí­ni­mo na­ci­o­nal, não te­rá de man­ter a mes­ma di­fe­ren­ça pro­por­ci­o­nal en­tre quem en­tra na car­rei­ra e quem es­tá ne­la há mais de dez anos co­mo as­sis­ten­te ope­ra­ci­o­nal (co­lo­ca­dos na ba­se e ní­vel se­guin­te da ta­be­la re­mu­ne­ra­tó­ria, res­pe­ti­va­men­te). A Lei Ge­ral de Tra­ba­lho em Fun­ções Pú­bli­cas pre­vê que “a al­te­ra­ção do mon­tan­te pe­cu­niá­rio cor­res­pon­den­te a ca­da ní­vel re­mu­ne­ra­tó­rio de­ve man­ter a pro­por­ci­o­na­li­da­de re­la­ti­va en­tre ca­da um dos ní­veis”, ex­ce­to quan­do a al­te­ra­ção se dê pe­la ele­va­ção do sa­lá­rio mí­ni­mo.

 ?? FO­TO: IVAN DEL VAL/GI ?? Em 2021, se­rão con­tra­ta­dos mais 3000 as­sis­ten­tes ope­ra­ci­o­nais pa­ra as es­co­las
FO­TO: IVAN DEL VAL/GI Em 2021, se­rão con­tra­ta­dos mais 3000 as­sis­ten­tes ope­ra­ci­o­nais pa­ra as es­co­las

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal