CO­MO MON­TAR O SEU COMPUTADOR

In­de­pen­den­te­men­te dos seus objectivos, na­da ba­te a sa­tis­fa­ção e a pou­pan­ça que po­de­rá ob­ter se de­ci­dir es­co­lher os seus com­po­nen­tes e mon­tar o seu pró­prio PC.

PC Guia - - CAPA - POR GUS­TA­VO DI­AS

Em­bo­ra os fa­bri­can­tes es­te­jam ca­da vez mais aten­tos às re­ais ne­ces­si­da­des dos uti­li­za­do­res, a realidade é que a di­fe­ren­ça de pre­ço en­tre os computadores pré-con­fi­gu­ra­dos e a com­pra de to­dos os com­po­nen­tes, de for­ma in­di­vi­du­al, con­ti­nua a ser sig­ni­fi­ca­ti­va. Se a is­so jun­tar­mos a sa­tis­fa­ção de po­der­mos mon­tar o computador à nos­sa medida e ao nos­so es­ti­lo, ain­da me­lhor. Com es­te guia va­mos ex­pli­car-lhe co­mo es­co­lher os com­po­nen­tes-cha­ve para o seu pró­xi­mo computador e co­mo os ins­ta­lar. Tu­do, sem es­que­cer os cui­da­dos a ter para evi­tar dis­sa­bo­res ou problemas.

OBJECTIVOS DIS­TIN­TOS

An­tes de ini­ci­ar a pes­qui­sa dos com­po­nen­tes e das lo­jas com os me­lho­res pre­ços, te­nha em aten­ção as su­as ne­ces­si­da­des, o ob­jec­ti­vo ou o des­ti­no do novo computador. Se for para para na­ve­gar na In­ter­net, es­cre­ver uns tex­tos e ver ví­de­os, fa­cil­men­te vai con­se­guir cri­ar um PC bas­tan­te aces­sí­vel e per­fei­ta­men­te ca­paz para de­sem­pe­nhar to­das es­tas ta­re­fas, sem problemas. Se, por ou­tro la­do, pre­ci­sar de um computador para jogar, o ca­so mu­da de fi­gu­ra: é ne­ces­sá­rio pres­cin­dir de cer­tos com­po­nen­tes, co­mo o processador, mó­du­los de me­mó­ria ou dis­cos, para que pos­sa apos­tar nu­ma pla­ca grá­fi­ca su­pe­ri­or. Mas se a ideia for ter um computador para tra­ba­lhar com edi­ção de ima­gem, ví­deo ou 3D, é pre­fe­rí­vel apos­tar num processador mul­ti-core, na mai­or ca­pa­ci­da­de de me­mó­ria e, ca­so o soft­ware usa­do se­ja com­pa­tí­vel, nu­ma pla­ca grá­fi­ca com um bom po­der de pro­ces­sa­men­to.

CUI­DA­DOS A TER

Cer­ta­men­te já ou­viu fa­lar em elec­tri­ci­da­de es­tá­ti­ca, um ti­po de ener­gia cau­sa­da pe­lo atri­to en­tre ob­jec­tos e o pró­prio ar, e dos pe­ri­gos da mes­ma du­ran­te a mon­ta­gem de um computador. Em­bo­ra es­ta não se­ja um pe­ri­go para a nos­sa saúde e bem-es­tar, a mes­ma po­de­rá ser fa­tal para cer­tos com­po­nen­tes mais sen­sí­veis. Co­mo tal, é re­co­men­dá­vel que te­nha al­guns cui­da­dos, co­mo o uso de uma pul­sei­ra de pro­tec­ção, que im­pe­di­rá as des­car­gas eléc­tri­cas en­tre a cai­xa de computador e os com­po­nen­tes. Es­te não é um re­qui­si­to obri­ga­tó­rio – po­de dis­pen­sar o seu uso, des­de que te­nha cui­da­do a ma­nu­se­ar os com­po­nen­tes, co­mo por exem­plo pe­gar nos mes­mos a par­tir das pla­cas de cir­cui­tos im­pres­sos, em vez de to­car di­rec­ta­men­te nos com­po­nen­tes. Ou­tros cui­da­dos ób­vi­os a ter são evi­tar co­lo­car a cai­xa em ci­ma de um ta­pe­te ou car­pe­te, du­ran­te a mon­ta­gem dos com­po­nen­tes, bem co­mo não usar rou­pa­su­pas pro­pen­sas à cri­a­ção de elec­tri­ci­dad es­tá­ti­ca atra­vés do atri­to com o cor­po ou ou­tras pe­ças de rou­pa, co­mo as ca­mi­so­las de lã. Co­mo vê, não pre­ci­sa de tra­ba­lhar num la­bo­ra­tó­rio em vá­cuo, bas­ta usar um pou­co de sen­so co­mum e al­gum cui­da­do.

CAI­XA

Co­me­çan­do pe­lo bá­si­co, te­nha sem­pre em con­ta que a es­co­lha de uma cai­xa para o seu computador não po­de es­tar li­ga­da ex­clu­si­va­men­te ao vi­su­al – é pre­ci­so tam­bém te­rer em con­ta a fun­ci­o­na­li­da­de. Um PC sim­ples po­de­rá usar qual­quer ti­po de cai­xa, mas um computador fei­to para ta­re­fas mais exi­gen­tes re­quer uma cai­xa mai­or e mais fun­ci­o­nal, para ga­ran­tir umaa boa ar­ru­ma­ção de to­dos os com­po­nen­tes, bem co­mo do flu­xo de ar no seu in­te­ri­or. Um computador que es­te­ja cons­tan­te­ment a fa­zer ren­de­ri­za­ção de ima­gens em 3D irá es­tar a tra­ba­lhar de for­ma cons­tan­te, si­tu­a­ção es­sa que irá ge­rar mui­to calor. Is­to vai obri­gar a que es­tu­de o flu­xo de ar no in­te­ri­or da cai­xa, per­mi­tin­do a en­tra­da de ar fres­co na par­te fron­tal e in­fe­ri­or da cai­xa, ao mes­mo tem­po que ga­ran­te uma ex­trac­ção do ar aque­ci­do no pai­nel tra­sei­ro e su­pe­ri­or. Nun­ca se es­que­ça e que o ar quen­te, por ser mais le­ve, aca­ba por su­bir. Igual­men­te im­por­tan­te é a ques­tão de ga­ran­tir que a cai­xa tem es­pa­ço su­fi­ci­en­te para o dis­si­pa­dor para ar­re­fe­cer o seu processador; é ain­da ne­ces­sá­rio ga­ran­tir que a cai­xa tem o com­pri­men­to su­fi­ci­en­te para ins­ta­lar a pla­ca grá­fi­ca que es­co­lher­mos. Por fim, te­nha em aten­ção o po­si­ci­o­na­men­to da fon­te de ali­men­ta­ção, bem co­mo o dos dis­cos rí­gi­dos ou uni­da­des SSD, para uma me­lhor or­ga­ni­za­çãogç de to­da a ca­bla­gem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.