TOSHI­BA POR­TÉ­GÉ Z30

PC Guia - - CAPA -

A ga­ma Por­té­gé aca­ba ca­ba de re­ce­ber no no­vo o Z30-E as mais re­cen­tes en­tes ino­va­ções tec­no­ló­gi­cas gi­cas do seg­men­to, co­mo mo os pro­ces­sa­do­res In­telIn­tel de úl­ti­ma ge­ra­ção, , pa­ra agra­dar aos uti­li­za­do­res em­pre­sa­ri­ais mais exi­gen­tes.

Pres­tes a com­ple­tar 25 anos, a li­nha Por­té­gé da Toshi­ba é uma das mais fa­mo­sas da mar­ca ni­pó­ni­ca, mui­to por cul­pa de ter si­do sem­pre as­so­ci­a­da aos mo­de­los to­po de ga­ma e ul­tra­fi­nos, que mais re­cen­te­men­te se pas­sa­ram a de­sig­nar pe­la In­tel co­mo ‘ul­tra­bo­oks’. Nes­ta no­va ge­ra­ção da ga­ma Z30, que já exis­te des­de 2013, pas­sa­mos a con­tar com a oi­ta­va ge­ra­ção de pro­ces­sa­do­res Co­re da In­tel, nes­te ca­so em con­cre­to, um Co­re i5-8250U de qu­a­tro nú­cle­os a 1,6 GHz, que po­de che­gar aos 3,6 GHz qu­an­do usa­do o mo­do Tur­bo. É cu­ri­o­so que, ten­do em con­ta o desempenho re­gis­ta­do, es­te pro­ces­sa­dor te­nha ob­ti­do um desempenho equi­pa­rá­vel ao Co­re i3-8100 uti­li­za­do no desk­top da PCDi­ga, mui­to em­bo­ra a no­men­cla­tu­ra uti­li­za­da pe­la In­tel dê a en­ten­der que o pro­ces­sa­dor usa­do nes­te por­tá­til de­ve­ria ter ob­ti­do um desempenho su­pe­ri­or ao Co­re i3-8100.

POR­TA­BI­LI­DA­DE

On­de es­te Por­té­gé Z30 sem­pre se des­ta­cou foi na sua ele­va­da por­ta­bi­li­da­de, vis­to ter um pe­so de ape­nas 1,2 kg e me­di­das bas­tan­te com­pac­tas, co­mo ape­nas 17,9 mm de es­pes­su­ra má­xi­ma. É cer­to que já exis­tem mo­de­los de mar­cas ri­vais com di­men­sões mais com­pac­tas, mais le­ves e com ecrãs de mai­or di­men­são (o Por­té­gé Z30 usa um mo­ni­tor FullHD de 13,3 po­le­ga­das), mas es­te Z30 não dei­xa de ter di­men­sões mui­to agra­dá­veis pa­ra quem quei­ra um equi­pa­men­to le­ve, com­pac­to e ro­bus­to, j á que o chas­sis é to­tal­men­te em mag­né­sio. Em­bo­ra cri­a­do pa­ra ser uti­li­za­do em vi­a­gem, daí ter re­gis­ta­do um in­te­res­san­te va­lor de au­to­no­mia nos tes­tes efec­tu­a­dos (pró­xi­mo das cin­co ho­ras), es­te ul­tra­bo­ok da Toshi­ba po­de ser in­ter­li­ga­do a uma es­ta­ção de an­co­ra­gem, se­ja ela es­pe­cí­fi­ca pa­ra o mo­de­lo em ques­tão ou uni­ver­sal (usan­do uma li­ga­ção USB 3.0), que lhe per­mi­te acres­cen­tar por­tas adi­ci­o­nais co­mo saí­das de ví­deo VGA, DVI-D, HDMI e Dis­playPort; con­tu­do, es­te Z30 con­ta já com uma saí­da VGA, HDMI, três li­ga­ções USB 3.0 e uma Gi­ga­bit LAN.

SE­GU­RAN­ÇA ACRESCIDA

Se em ter­mos de desempenho es­te Por­té­gé Z30 tem di­fi­cul­da­de em ca­ti­var-nos (con­tu­do, per­fei­to pa­ra uma uti­li­za­ção quo­ti­di­a­na), é na ver­ten­te da se­gu­ran­ça que a Toshi­ba sur­pre­en­de. Além da en­crip­ta­ção das uni­da­des de ar­ma­ze­na­men­to, e do re­cur­so a um TPM 2.0 (Trus­ted Plat­form Mo­du­le), exis­te ain­da um efi­caz leitor de im­pres­sões di­gi­tais, bem co­mo um leitor de Smart­card, pa­ra im­pe­dir o aces­so não au­to­ri­za­do aos seus ficheiros con­fi­den­ci­ais. Gra­ças à tec­no­lo­gia AMT (In­tel Ac­ti­ve Ma­na­ge­ment Te­ch­no­logy), po­de­rá per­mi­tir que o ad­mi­nis­tra­dor de sis­te­mas da sua em­pre­sa con­si­ga, re­mo­ta­men­te, man­ter o sis­te­ma ope­ra­ti­vo do Por­té­gé de­vi­da­men­te

ac­tu­a­li­za­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.