BAS DOST AS­SU­ME A ‘DES­PE­SA’

Lan­ce com o Bar­ça fez mos­sa, mas... já é pas­sa­do: ago­ra, só pen­sar em mar­car ao FC Por­to

Record (Portugal) - - SPORTING - ALE­XAN­DRE MOI­TA E BRU­NO FER­NAN­DES

“De­via ter as­su­mi­do a de­ci­são. De­via ter chutado, não te­nho dú­vi­das. Nem eu, nem ele.” Eis a for­ma co­mo Jorge Je­sus re­tra­tou o lan­ce que po­dia ter da­do o em­pa­te ao Spor­ting fren­te ao Bar­ça: Bas Dost – o pro­ta­go­nis­ta – ser­viu Bru­no Fer­nan­des em vez de re­ma­tar e... Ter Ste­gen de­fen­deu. Re­sul­ta­do? O leão saiu sem pon­tos da 2ª jor­na­da da Cham­pi­ons e o ho­lan­dês ficou con­vic­to de que não to­mou a de­ci­são cer­ta: foi is­so que co­mu­ni­cou ao trei­na­dor no pós-jo­go, ga­ran­tin­do­lhe, tam­bém, es­tar pron­to pa­ra se re­di­mir: vem aí o FC Por­to. No clás­si­co, e mais do que co­lo­car uma pe­dra em ci­ma do ‘lan­ce ca­pi­tal’, Bas Dost tam­bém pro­cu­ra aca­bar com um­pe­río­do de qua­tro jo­gos sem mar­car, o se­gun­do mai­or des­de que ves­te de leão ao pei­to (na épo­ca pas­sa­da ficou cin­co jo­gos em bran­co): o de­sa­fio au­men­ta pe­lo fac­to de nos três jo­gos con­tra ri­vais

que dis­pu­tou – dois con­tra o Ben­fi­ca e um­co­mo FC Por­to –, só ter fa­tu­ra­do uma vez (na Luz) não so­man­do qual­quer triun­fo nos três jo­gos. Mais: es­ta épo­ca, em ca­sa, mar­cou uma só vez, an­te o V. Se­tú­bal, de gran­de pe­na­li­da­de, ten­do al­can­ça­do os res­tan­tes qua­tro go­los sem­pre co­mo vi­si­tan­te.

Mais‘con­tras’ do­que‘prós’?

Não. Bas Dost tem no cur­rí­cu­lo uma épo­ca de gran­de ní­vel, na qual mar­cou 36 go­los no cam­pe­o­na­to, ter­mi­nan­do ‘vi­ce’ na lu­ta pe­la Bo­ta de Ou­ro. Je­sus não quer que o pon­ta- de-lan­ça fa­ça mais e até afir­mou que se “fi­zer os mes­mos”, o dei­xa­rá “su­per­fe­liz”. O ar­ran­que de 2017/18 es­tá al­guns fu­ros abai­xo do es­pe­ra­do, sim, mas nem as­sim JJ tem dei­xa­do de trans­mi­tir con­fi­an­ça ao camisola 28, com es­pe­ci­al des­ta­que pa­ra o pós-Barcelona: quem já fa­tu­rou tan­to no pas­sa­do e tra­ba­lha sem­pre no li­mi­te se­rá re­com­pen­sa­do – foi es­ta a ideia que Je­sus pas­sou ao pon­ta-de-lan­ça, que tam­bém lhe ga­ran­tiu que tu­do con­ti­nu­a­rá a fa­zer pa­ra aju­dar o Spor­ting, não só no clás­si­co de do­min­go, mas tam­bém a con­quis­tar o seu gran­de ob­je­ti­vo: ser cam­peão na­ci­o­nal. *

JE­SUS QUE­RIA QUE HO­LAN­DÊS TI­VES­SE CHUTADO, MAS DEU-LHE CON­FI­AN­ÇA: NA­DA VAI BELISCAR O SEU ES­TA­TU­TO EM AL­VA­LA­DE

A. A

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.