Ter­re­no le­o­ni­no é azi­a­go

Record (Portugal) - - FC PORTO - RUI SOU­SA

Depois de bri­lhar no Dra­gão e na Luz, o es­pa­nhol vai ago­ra à con­quis­ta de Al­va­la­de

co­mum di­zer-se que os gran­des jo­ga­do­res es­tão ta­lha­dos pa­ra os gran­des mo­men­tos e Iker Ca­sil­las é um exem­plo dis­so mes­mo. Depois de dé­ca­da e meia a bri­lhar na ba­li­za do Re­al Ma­drid em jo­gos de gran­de in­ten­si­da­de, o es­pa­nhol trans­por­tou es­sa qua­li­da­de su­pre­ma pa­ra a de­fe­sa das re­des do FC Por­to, on­de tem pu­xa­do dos ga­lões em en­con­tros de mai­or res­pon­sa­bi­li­da­de e on­de por ve­zes a bo­la ‘quei­ma’. As su­as gran­des exi­bi­ções nos clás­si­cos já se tor­na­ram um há­bi­to e em Al­va­la­de te­rá mais uma opor­tu­ni­da­de de de­mons­trar o seu es­ta­tu­to.

San Iker já foi man­che­te de Re­cord em três re­sul­ta­dos po­si­ti­vos al­can­ça­dos pe­los dragões fren­te aos ri­vais de Lisboa, dois de­les no Es­tá­dio da Luz. Mas foi di­an­te do Spor­ting, no Dra­gão, na épo­ca pas­sa­da, que o es­pa­nhol, de 36 anos, me­re­ceu um dos mais ras­ga­dos elo­gi­os des­de que che­gou a Por­tu­gal. Ten­do ga­ran­ti­do a vi­tó­ria do FC Por­to, por 2-1, com du­as de­fe­sas es­pan­to­sas nos der­ra­dei­ros ins­tan- tes do jo­go, a re­ma­tes de Co­a­tes, Ca­sil­las viu Jorge Je­sus apon­tá-lo co­mo prin­ci­pal ar­tí­fi­ce des­se êxi­to. O téc­ni­co fez até ques­tão de o di­zer ao ex­pe­ri­en­te guar­da-re­des no fi­nal do jo­go, ain­da no rel­va­do. À pro­cu­ra de um re­sul­ta­do fa­vo­rá­vel que lhe per­mi­ta man­ter a li­de­ran­ça do cam­pe­o­na­to, o FC Por­to de­po­si­ta gran­de con­fi­an­ça no seu gu­ar­dião, um homem que já de­mons­trou que não tre­me nos mo­men­tos de mai­or pres­são. Após ter fi­ca­do em bran­co no Mó­na­co, nu­ma das jor­na­das mais bri­lhan­tes dos dragões nas com­pe­ti­ções da UEFA, Ca­sil­las vai su­bir ao rel­va­do de Al­va­la­de com a es­pe­ran­ça de vol­tar a man­ter as su­as re­des in­tac­tas, al­go que se­ria de­ter­mi­nan­te pa­ra a ob­ten­ção de um des­fe­cho fa- vo­rá­vel pa­ra as am­bi­ções da equi­pa de Sér­gio Con­cei­ção.

Tra­di­ção

Depois de bri­lhar no Dra­gão e na Luz, o es­pa­nhol vai ten­tar com­ple­tar a tri­lo­gia das gran­des exi­bi­ções em clás­si­cos no pal­co de Al­va­la­de, ter­re­no on­de nun­ca ven­ceu (ver tex­to se­cun­dá­rio). Ser he­rói não é aqui­lo que o mo­ve, mas se mais uma gran­de atu­a­ção for de­ci­si­va pa­ra a con­quis­ta de pon­tos, de­cer­to Ca­sil­las não se vai im­por­tar de ser no­va­men­te man­che­te... NÚ­ME­ROS

jo­gos re­a­li­za­dos por Ca­sil­las com a camisola do FC Por­to. A mai­or fa­tia ca­be ao cam­pe­o­na­to, com 72 pre­sen­ças. Se­gue-se a Cham­pi­ons (18 jo­gos), e Liga Europa (2). De des­ta­car que o guar­da-re­des ain­da não fez qual­quer en­con­tro na Ta­ça de Por­tu­gal e na Ta­ça CTT

DEPOIS DE TER SAÍ­DO COM AS RE­DES IN­TAC­TAS DO MÓ­NA­CO, VAI PRO­CU­RAR FA­ZER O MES­MO NES­TE DU­E­LO NA CA­PI­TAL

No en­tan­to, pa­ra que is­so acon­te­ça, o mais ex­pe­ri­en­te dos jo­ga­do­res na his­tó­ria das pro­vas de clu­bes da UEFA, em con­jun­to com os seus com­pa­nhei­ros da de­fe­sa, te­rá de dar res­pos­ta aos ata­ques que lhe se­rão lan­ça­dos por Bas Dost, Marcos Acuña, Gelson Mar­tins e com­pa­nhia. Um de­sa­fio pa­ra o qual es­tá pre­pa­ra­do, até por­que lidera uma de­fe­sa que tem da­do boa con­ta do re­ca­do no cam­pe­o­na­to, e que não se­rá di­fe­ren­te de ou­tros que já en­fren­tou na sua ex­ten­sa car­rei­ra. Sér­gio Con­cei­ção con­ta com a bên­ção de San Iker pa­ra dar tran­qui­li­da­de e ins­pi­rar a res­tan­te equi­pa. * çO mí­ti­co guar­da-re­des es­pa­nhol não guar­da bo­as re­cor­da­ções das ve­zes que pi­sou o ter­re­no do Spor­ting e já o fez em qua­tro oca­siões na sua car­rei­ra. A pri­mei­ra foi ain­da no an­ti­go Es­tá­dio de Al­va­la­de, com a camisola do Re­al Ma­drid, na épo­ca 2000/01, e em­pa­tou a dois go­los. No ve­rão de 2004, Ca­sil­las foi o gu­ar­dião da se­le­ção es­pa­nho­la no Eu­ro’2004 e per­deu fren­te a Por­tu­gal já no no­vo re­cin­to dos leões.

A par­tir daí só en­trou na ca­sa do Spor­ting na de­fe­sa das re­des do FC Por­to e so­mou mais du­as der­ro­tas. A pri­mei­ra acon­te­ceu em ja­nei­ro de 2016, por 2-0, pre­ci­sa­men­te na úl­ti­ma vez que os dragões ti­nham es­ta­do na fren­te do cam­pe­o­na­to, ain­da com Ju­len Lo­pe­te­gui no co­man­do da equi­pa. Na épo­ca pas­sa­da, os por­tis­tas vol­ta­ram a ser ba­ti­dos, des­ta vez por 2-1, num jo­go on­de até es­ti­ve­ram a ga­nhar. Co­mo se per­ce­be, a his­tó­ria não fa­vo­re­ce as in­ten­ções do es­pa­nhol. *

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.