Po­sou pa­ra to­das as re­vis­tas mas não quer po­lé­mi­cas

TV Guia - - Estrelas -

cen­te­men­te por di­fa­ma­ção, pro­ces­so que per­deu na Jus­ti­ça, pre­ci­sa­men­te na se­ma­na em que a fi­lha deu o “nó”.

O no­vo ma­ri­do de Lu­ci­a­na Abreu, Daniel Sou­sa, que qua­se nun­ca fa­la, mas que ago­ra con­quis­tou o pos­to de agen­te in­ter­na­ci­o­nal da carreira mu­si­cal da mu­lher, abriu uma ex­cep­ção no dia do seu ca­sa­men­to e as­su­miu es­tar a vi­ver for­tes emo­ções. “Nun­ca na mi­nha vi­da ti­ve um ba­ti­men­to car­día­co tão in­ten­so. Es­ti­ve qua­se a mor­rer!”, dis­se, con­fes­san­do ter cho­ra­do du­ran­te a ce­ri­mó­nia que de­cor­reu na igre­ja do Es­to­ril, sob o olhar aten­to do pa­dre Jo­sé Ma­cha­do, o ho­mem que os de­sa­fi­ou a di­ze­rem “sim” e se tor­na­rem ma­ri­do e mu­lhe: “Foi uma ex­plo­são de sen­ti­men­tos. Ti­ve de aguen­tar du­as ve­zes a Mar­cha Nup­ci­al! Vi­rei-me três ve­zes pa­ra ver se ela vi­nha aí.” Lu­ci­a­na Abreu e o ma­ri­do, Daniel

Sou­sa, não es­con­de­ram da im­pren­sa qual se­ria o lo­cal on­de se iri­am ca­sar. Po­sa­ram pa­ra as ob­jec­ti­vas, fi­ze­ram de­cla­ra­ções, mas de­pois não gos­ta­ram do que le­ram so­bre eles nos di­as

a se­guir ao en­la­ce.

POUCOSFAMOSOSPRESENTES

Vi­si­vel­men­te per­di­da com tan­ta ca­ra des­co­nhe­ci­da, mas sem­pre a ten­tar man­ter a ima­gem im­po­lu­ta e se­re­na, Lu­ci­a­na Abreu ape­nas pô­de con­tar com a pre­sen­ça de al­guns, pou­cos, co­le­gas de elen­co da no­ve­la da SIC Es­pe­lho d’Água. Na ce­ri­mó­nia re­li­gi­o­sa mar­ca­ram pre­sen­ça os ac­to­res Amé­lia Vi­dei­ra e o ca­sal Liliana San­tos e Re­na­to Go­di­nho que, nes­te even­to, as­su­mi­ram um na­mo­ro re­cen­te que até aqui ti­nha si­do dis­cre­to.

A bo­da re­a­li­zou-se no res­tau­ran­te da Or­dem dos Mé­di­cos, em Lis­boa e, an­tes da mes­ma co­me­çar, Lu­ci­a­na Abreu tro­cou de ves­ti­do. “Por mim, ti­nha fi­ca­do com o pri­mei­ro ves­ti­do até ao fi­nal da fes­ta”, con­fes­sou à re­vis­ta Ca­ras. Mas não da­va. “Co­mo era pe­sa­do, sen­ti ne­ces­si­da­de de tro­car, até por­que que­ria sen­tir-me à von­ta­de pa­ra dan­çar.” Aliás, o ca­sal dan­çou imen­so na fes­ta. “Dan­çá­mos e cho­rá­mos mui­to. Tu­do cor­res­pon­deu às nos­sas ex­pec­ta­ti­vas. Foi mui­to es­pe­ci­al”, dis­se Daniel Sou­sa, que tra­tou so­zi­nho de to­dos os de­ta­lhes do ca­sa­men­to. “Sin­to­me o ho­mem mais fe­liz do mun­do. Es­ti­ve­mos a ce­le­brar o amor.” Lu­ci­a­na acres­cen­tou: “Foi um dia lin­do. Dan­çá­mos e cho­rá­mos mui­to”, um dia que tam­bém con­tou com a pre­sen­ça de Nuno Go­mes, ex-jo­ga­dor e ex-di­ri­gen­te do Ben­fi­ca, en­tre os 80 con­vi­da­dos que o guia tu­rís­ti­co con­vo­cou pa­ra a fes­ta.

ZANGADACOMHISTÓRIASPUBLICADAS

Na noi­te de do­min­go, 22, de­pois da noi­te de núp­ci­as, a can­to­ra apa­re­ceu na va­ran­da de um ho­tel em Cas­cais, a mos­trar a bar­ri­nha de grá­vi­da e a con­fes­sar, nas re­des so­ci­ais, que es­tá imu­ne às po­lé­mi­cas: “Na­da nem nin­guém me vai ti­rar a fe­li­ci­da­de que sin­to”, in­ti­tu­lou na fo­to pu­bli­ca­da no Ins­ta­gram e no Fa­ce­bo­ok.

“Vi­vem a mi­nha vi­da de uma for­ma ale­a­tó­ria. Es­pe­cu­lam si­tu­a­ções co­mo se fos­sem re­ais. Dão-se ao tra­ba­lho de pu­bli­car men­ti­ras atrás de men­ti­ras, co­mo se is­so fi­zes­se par­te da vi­da de­les pró­pri­os. E a to­dos aque­les que fa­zem par­te de ter­tú­li­as pa­ra en­cher um pro­gra­ma e te­rem au­di­ên­cia so­bre ma­le­di­cên­cia do alheio, se­ja co­mi­go ou com ou­tras pes­so­as, lem­bro e re­lem­bro .... A dig­ni­da­de, o decoro e a so­li­da­ri­e­da­de hu­ma­na fa­zem não só par­te da mi­nha vi­da co­mo da de to­das as ou­tras pes­so­as.”

A ac­triz, que nun­ca es­con­deu da im­pren­sa o lo­cal on­de se iria ca­sar, re­a­giu ago­ra con­tra quem di­vul­gou his­tó­ri­as e ima­gens cap­ta­das da bo­da, as mes­mas pa­ra as quais po­sou: “Nin­guém vos cha­mou, nin­guém vos per­gun­tou na­da e mui­to me­nos vos vou dar o va­lor que não têm.”

NA INTIMIDADE

A che­ga­da de noi­va à igre­ja te­ve tu­do, até di­rei­to a uma ce­na ao es­ti­lo Ma­rilyn Mon­roe. No co­po d’água não fal­tou mú­si­ca pa­ra dan­çar e cham­pa­nhe pa­ra ce­le­brar.

Os 80 con­vi­da­dos dan­ça­ram até à noi­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.