QUÍ­MI­CA al­ter­na­ti­va

VOGUE (Portugal) - - Música -

um dos te­le­dis­cos mais vo­lup­tu­o­sos al­gu­ma vez as­so­ci­a­dos a uma ban­da in­die pop por­tu­gue­sa. A can­ção cha­ma-se Re­nais­san­ce e é o no­vo sin­gle dos por­tu­en­ses Best Youth. Mas da ban­da só a mú­si­ca faz par­te do fil­me, que é in­tei­ra­men­te pro­ta­go­ni­za­do por Kelly Bai­ley, de 19 anos, meio por­tu­gue­sa meio in­gle­sa, co­nhe­ci­da pe­la par­ti­ci­pa­ção na no­ve­la A Úl­ti­ma Mu­lher. Aqui o guião é mui­to di­fe­ren­te, ela pro­ta­go­ni­za um so­nam­bu­lis­mo fe­li­no – que ves­te pe­les, lan­te­jou­las e col­lants (mas na­da de sa­pa­tos) – pe­lo ro­mân­ti­co pa­la­ce­te do vis­con­de de Gân­da­ra. Com a sua es­ca­da­ria mo­nu­men­tal e es­tu­ques pro­di­gi­o­sos, o edi­fí­cio cons­truí­do 1890, se­de da As­so­ci­a­ção de Ou­ri­ve­sa­ria e Re­lo­jo­a­ria do Porto, é ou­tra re­ve­la­ção e o ce­ná­rio mais que per­fei­to des­ta Re­nais­san­ce. Mais pa­re­ce um clip de um ca­nal de Moda. A re­a­li­za­ção é do fashi­on film­ma­ker Ti­a­go Ri­bei­ro e a pro­du­ção da Dsec­ti­on, em­pre­sa de co­mu­ni­ca­ção por­tu­gue­sa se­di­a­da em Pa­ris, que edi­ta des­de 2011 uma re­vis­ta que se tor­nou num ob­je­to de cul­to no mun­do da Moda.

Re­nais­san­ce mar­ca um no­vo ca­pí­tu­lo na car­rei­ra dos Best Youth, duo for­ma­do por Ed Ro­cha Gon­çal­ves e Ca­ta­ri­na Sa­li­nas. Ele tem 33 anos e ela 35 e já se co­nhe­cem des­de miú­dos, quan­do os pais cos­tu­ma­vam aban­car la­do a la­do na mes­ma praia. Diz Ed: “To­co gui­tar­ra des­de os 11 anos e aos 15/16 anos co­me­cei a ter von­ta­de de ter uma ban­da e de dar con­cer­tos. Hou­ve um bar no Porto on­de al­guns dos Azei­to­nas fa­zi­am umas noi­tes te­má­ti­cas de pal­co aber­to. Fui lá com os meus ami­gos to­car Be­a­tles e sou­be que ia ha­ver uma noi­te de­di­ca­da às di­vas. En­tão pro­cu­rei uma.” Con­ta Ca­ta­ri­na: “Uma ami­ga lem­brou ao Ed que eu cos­tu­ma­va can­tar pa­ra as ami­gas, quan­do ía­mos pas­sar fins de se­ma­na em quin­tas de fa­mí­lia. Nes­sa al­tu­ra eu só can­ta­va no chu­vei­ro ou no quar­to. En­tão o Ed li­gou-me pa­ra es­sa noi­te das di­vas, on­de can­tei uma ver­são da Brit­ney Spe­ars e ou­tra da Ma­don­na – uma ver­são blu­es do Li­ke a Vir­gin. Ed e Ca­ta­ri­na che­ga­ram a for­mar uma ban­da com um ba­te­ris­ta que não aque­ceu o lugar. E ca­da um se­guiu o seu ca­mi­nho – o de­le mais ori­en­ta­do pa­ra a ele­tró­ni­ca, o de­la mais dan­çan­te –, até que, no iní­cio des­ta dé­ca­da, ele quis lan­çar um dis­co a so­lo e lem­brou-se de­la ou­tra vez. A sin­to­nia foi tal que gra­va­ram um EP a dois e já sob a de­no­mi­na­ção Best Youth. Se­guiu-se o ál­bum de es­treia Highway Mo­on, em 2015, bem re­ce­bi­do no cir­cui­to in­de­pen­den­te lo­cal e em meia dú­zia de fes­ti­vais eu­ro­peus.

Os Best Youth lan­çam um vi­de­o­cli­pe com a atriz e mo­de­lo Kelly Bai­ley e deixam meio mun­do em aler­ta ver­me­lho.

Luís Maio

di­gres­são só veio a ser en­cer­ra­da no iní­cio des­te ano, num con­cer­to fes­ti­vo que en­cheu o lis­bo­e­ta Lux e con­tou com pres­ta­ções de Moul­li­nex e Le­gen­dary Ti­ger­man. Ser­viu igual­men­te pa­ra apre­sen­tar o no­vo sin­gle, ou se­ja fe­chou um ci­clo e abriu ou­tro. Ed põe as coi­sas em pers­pe­ti­va: “Sem­pre ti­ve­mos ten­dên­cia pa­ra fazer mú­si­ca mui­to me­lan­có­li­ca e in­tros­pe­ti­va, mas ago­ra de­mos a nós mes­mos o de­sa­fio de fazer mú­si­ca mais me­xi­da. Re­nais­san­ce é um cul­mi­nar das nos­sas ex­pe­ri­ên­ci­as mais dan­çá­veis.” O no­vo sin­gle foi tam­bém um dos pon­tos al­tos da atu­a­ção no fes­ti­val ho­lan­dês Eu­ro­so­nic, on­de os Best Youth se des­ta­ca­ram co­mo uma das 10 ban­das eu­ro­pei­as mais pro­mis­so­ras do mo­men­to. Tem mui­to a ver com a quí­mi­ca de um duo com es­ta­tu­to de ca­sal al­ter­na­ti­vo. “Te­mos a sor­te de ter­mos per­so­na­li­da­des mui­to di­fe­ren­tes, mas com­pa­tí­veis. Eu sou mui­to cha­to, a Ca­ta­ri­na é mui­to to­le­ran­te, de ma­nei­ra que as dis­cus­sões são mui­tas, mas aca­bam sem­pre bem.” Ela acres­cen­ta: “Não pen­sá­mos nis­so do ca­sal. Já nos co­nhe­ce­mos há mui­tos anos, já te­mos uma quí­mi­ca mui­to bem se­di­men­ta­da. Tam­bém é ver­da­de que, ao vi­vo, eu sin­to con­for­to a olhar pa­ra ele e há mú­si­cas em que pre­ci­so de es­tar junto de­le. É uma ne­ces­si­da­de emo­ci­o­nal cri­a­da pe­la pró­pria mú­si­ca.” l

Kelly Bai­ley, a pro­ta­go­nis­ta do vi­de­o­cli­pe Re­nais­san­ce, dos Best Youth.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.