ATRÁS DE PA­BLO NE­RU­DA

VOGUE (Portugal) - - Cinema -

Fil­mar um mi­to chi­le­no, nes­te ca­so um mi­to do mun­do. Mas Ne­ru­da, de Pa­blo Lar­raín, não é bem uma bi­o­gra­fia so­bre o ho­mem ou o ar­tis­ta. É uma rei­ma­gi­na­ção do seu lugar na ico­no­gra­fia de um país. Lar­raín vai mais lon­ge, mos­tra o la­do vai­do­so, os seus ví­ci­os, a pro­pen­são pa­ra a bur­gue­sia. Nes­se as­pe­to, é tu­do me­nos re­ve­ren­te, so­bre­tu­do por­que es­ta his­tó­ria é so­bre um pe­río­do mui­to con­cre­to: os tempos em que foi per­se­gui­do pe­lo re­gi­me fas­cis­ta que su­biu ao po­der no Chi­le. A ação, que não quer ser ri­go­ro­sa, per­cor­re a sua fu­ga por ter as­su­mi­do a sua fi­li­a­ção co­mu­nis­ta. O dis­po­si­ti­vo nas­ce de uma fan­ta­sia do ci­ne­ma, nes­te ca­so a per­so­na­gem de Ga­el Gar­cía Ber­nal, um ins­pe­tor da po­lí­cia fas­ci­na­do e ob­ce­ca­do por apa­nhar Ne­ru­da. Um ins­pe­tor que nun­ca exis­tiu e que pre­ten­de ser uma me­tá­fo­ra de um re­gi­me que quis ca­lar o po­e­ta he­rói do po­vo. É um Ga­el co­mo nun­ca o vi­mos: trans­for­ma-se, mes­qui­nho, las­ci­vo. Pa­pel da sua vi­da? O fil­me é já um dos gran­des su­ces­sos dos úl­ti­mos tempos do ci­ne­ma da Amé­ri­ca La­ti­na e con­fir­ma to­do o talento de Lar­raín.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.