A mu­dan­ça co­me­ça den­tro de vo­cê e da em­pre­sa

Sport Life - - PEDALADAS -

Em 10 anos o nú­me­ro de usuá­ri­os de bi­ci­cle­ta do­brou no país*. De que for­ma es­se fa­to afe­ta a nos­sa re­a­li­da­de?

A ro­ti­na das pes­so­as não mu­da mui­to com es­sa in­for­ma­ção. Mas es­te­ja cer­to de que es­se nú­me­ro traz alí­vio ao trân­si­to caó­ti­co de gran­des ci­da­des co­mo São Pau­lo, Be­lo Ho­ri­zon­te e Rio de Ja­nei­ro. Cer­ta­men­te as pes­so­as que uti­li­zam a bi­ci­cle­ta pa­ra se des­lo­car es­tão apro­vei­tan­do me­lhor a eco­no­mia de tem­po e di­nhei­ro que o equi­pa­men­to ofe­re­ce. Além de­las, em­pre­sas já per­ce­be­ram os be­ne­fí­ci­os que o uso da bi­ci­cle­ta po­de tra­zer. E pe­da­lan­do a fa­vor da ma­ré, al­gu­mas in­cen­ti­vam seus fun­ci­o­ná­ri­os a uti­li­za­rem a bi­ke. Eu tra­ba­lho na Shi­ma­no, uma em­pre­sa cu­jo pró­prio no­me se con­fun­de com bi­ci­cle­ta. Em 2011, nos­so es­cri­tó­rio foi mu­da­do pa­ra a ave­ni­da Pau­lis­ta. Uma das pri­o­ri­da­des era que o pré­dio ti­ves­se es­pa­ço pa­ra ci­clis­tas, já que mui­tos fun­ci­o­ná­ri­os iam de bi­ci­cle­ta. Fi­ze­mos al­gu­mas adap­ta­ções e lo­go tí­nha­mos es­tru­tu­ra ade­qua­da: bi­ci­cle­tá­rio na ga­ra­gem e ves­tiá­rio com chu­vei­ro. Em 2014 mu­da­mos no­va­men­te. Des­sa vez, fo­mos pa­ra um edi­fí­cio bas­tan­te mo­der­no na ala­me­da San­tos, per­ti­nho do en­de­re­ço an­ti­go. Po­rém, in­cri­vel­men­te, o pré­dio não ti­nha es­tru­tu­ra pa­ra re­ce­ber as bi­ci­cle­tas. Pi­or: a ad­mi­nis­tra­ção do edi­fí­cio não era tão fa­vo­rá­vel às ma­gre­las. Le­vou al­gum tem­po e deu um pou­co de tra­ba­lho, mas com adap­ta­ções aqui e ali e con­ces­sões de am­bas as par­tes, ho­je te­mos um óti­mo bi­ci­cle­tá­rio e um ex­ce­len­te chu­vei­ro. Nes­sa his­tó­ria, qua­se pre­va­le­ceu aque­la ve­lha má­xi­ma: em ca­sa de fer­rei­ro, o es­pe­to é de pau. Por ser­mos uma em­pre­sa cu­jo prin­ci­pal ne­gó­cio é a bi­ci­cle­ta, nin­guém ima­gi­na­va que te­ría­mos di­fi­cul­da­des em nos­so pró­prio pré­dio. Ho­je ve­mos ca­da vez mais em­pre­sas se es­for­çan­do pa­ra abrir as por­tas aos usuá­ri­os de bi­ke e in­cen­ti­van­do a ati­tu­de. Mas é pre­ci­so pa­ci­ên­cia. O im­por­tan­te é lem­brar que a bi­ci­cle­ta é uma fer­ra­men­ta de­mo­crá­ti­ca, um ins­tru­men­to de li­ber­da­de. Ce­do ou tar­de, ela con­quis­ta­rá mais es­pa­ço em nos­sa so­ci­e­da­de sa­tu­ra­da de veí­cu­los mo­to­ri­za­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.