TAP re­cor­re ao le­a­sing para au­men­tar fro­ta de no­vos aviões

Jornal de Negócios - - PRIMEIRA PÁGINA - BRUNO SI­MÕES* bru­no­si­mo­es@ne­go­ci­os.pt

Com­pa­nhia fez en­co­men­da de 53 aviões à Air­bus e ago­ra vai ad­qui­rir mais três em re­gi­me de le­a­sing.

A TAP vai re­ce­ber mais três aviões além dos 53 que en­co­men­dou à Air­bus e que de­vem co­me­çar a che­gar no pró­xi­mo ano. A ideia é cum­prir com o “pla­no de fro­ta” e subs­ti­tuir os aviões mais an­ti­gos, co­mo os A340.

Os no­vos ac­ci­o­nis­tas pri­va­dos da TAP anun­ci­a­ram em No­vem­bro de 2015 que iri­am ad­qui­rir 53 no­vos aviões para a fro­ta da TAP. Na se­ma­na pas­sa­da, a trans­por­ta­do­ra ga­ran­tiu a vin­da de mais três ae­ro­na­ves, es­tas em re­gi­me de le­a­sing. No to­tal se­rão 56 no­vos aviões. A ope­ra­ção foi anun­ci­a­da a 31 de Ju­lho pe­la Air Le­a­se Cor­po­ra­ti­on (ALC), em­pre­sa que faz le­a­sing de aviões e que irá ce­der as du­as no­vas ae­ro­na­ves A330-900 neo, com mo­to­res mais efi­ci­en­tes e mais lu­ga­res do que os ac­tu­ais A330 na fro­ta da TAP. Se­rá tam­bém es­ta em­pre­sa que vai ce­der um A320­neo. Es­tas ae­ro­na­ves de­ve­rão ser en­tre­gues en­tre o úl­ti­mo tri­mes­tre de 2018 e o ter­cei­ro tri­mes­tre de 2019, de acor­do com um co­mu­ni­ca­do da ALC. Ao­pe­ra­ção en­vol­ve ain­da o “sa­le and le­a­se back” – is­to é, a ven­da se­gui­da de ce­dên­cia atra­vés de le­a­sing – de ou­tros dois A330-900 neo que a TAP en­co­men­dou à Air­bus e que já ven­deu à ALC, que de­pois os ce­de­rá du­ran­te um pe­río­do de tem­po que não foi di­vul­ga­do à com­pa­nhia. No fi­nal des­sa ce­dên­cia, os dois aviões se­rão en­tre­gues à ALC. As com­pa­nhi­as aé­re­as re­cor­rem a es­ta mo­da­li­da­de por­que con­se­guem ven­der os aviões a um pre­ço mais al­to do que aque­le a que os com­pra­ram – no ca­so da TAP, uma vez que foi fei­ta uma en­co­men­da de 53 aviões, o pre­ço de ca­da um de­ve ter si­do al­vo de des­con­tos subs­tan­ci­ais. Ao Ne­gó­ci­os, aTAP in­cluiu es­ses cin­co aviões no mes­mo pa­co­te – os três le­a­sings e os dois “sa­le and le­a­se back”. “Este to­tal de cin­co aviões per- mi­te que a com­pa­nhia cum­pra com o pla­no de fro­ta­es­ta­be­le­ci­do e que in­clui asubs­ti­tui­ção de aviões mais an­ti­gos, tais co­mo os A340”, ex­pli­ca­fon­te ofi­ci­al da trans­por­ta­do­ra aé­rea. Os qua­tro Air­bus A340 são os aviões mais an­ti­gos ao ser­vi­ço da TAP – dois de­les são de 1994 e ou­tros dois de 1995, o que sig­ni­fi­ca que têm uma ida­de mé­dia de 22,5 anos. Ape­sar de ain­da não ter de­ci­di­do quan­do é que os A340 dei­xam de vo­ar, a TAP diz ter “fle­xi­bi­li­da­de para re­ti­rar es­tes aviões da fro­ta en- tre 2018 e 2019” e vai to­mar “a de­ci­são fi­nal mais pró­xi­mo da en­tre­ga dos A330neo”.

53 no­vos aviões pas­sam a 56

No to­tal, Ne­e­le­man e Pe­dro­sa anun­ci­a­ram em No­vem­bro de 2015 que iri­am pro­ce­der à en­co­men­da de 53 no­vas ae­ro­na­ves jun­to da Air­bus, em subs­ti­tui­ção dos 12 A350 que es­ta­vam re­ser­va­dos pe­la TAP jun­to da fa­bri­can­te fran­ce­sa des­de 2007 e cu­ja en­co­men­da foi can­ce­la­da por ra­zões ope­ra­ci­o­nais. Da­vid Ne­e­le­man dis­se à Vi­são, no iní­cio de 2016, que os A350 “não fa­zi­am fal­ta à TAP” e que os A330neo e os A321 “são mais ren­tá­veis”. Foi anun­ci­a­da a com­pra de 14 aviões de lon­go cur­so A330-900 e de 24 aviões A321 neo, igual­men­te para uti­li­za­ção para ro­tas de lon­go cur­so, e de 15 aviões A320­neo, para o mé­dio cur­so – es­sen­ci­al­men­te para a ope­ra­ção na Eu­ro­pa. Ou se­ja, 53 aviões no to­tal, que pas­sa­rão a 56 com os três da ALC. *

Ma­rio Pro­en­ca/Blo­om­berg

Os qua­tro Air­bus A340 são os aviões mais an­ti­gos na fro­ta da TAP.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.