Diario de Noticias - DN + Dinheiro Vivo : 2020-10-17

Mobi Summit : 36 : 36

Mobi Summit

Mobi Summit I3V6 sábado, 17 de outubro de 2020 www.dinheirovi­vo.pt A pandemia ampliou as desigualda­des sociais camufladas nas cidades. Mas esta é a oportunida­de para corrigir os desequilíb­rios, construind­o centros urbanos para as pessoas e projetados para os transporte­s sustentáve­is. São duas grandes ideias que atravessar­am os debates sobre o urbanismo depois da covid-19. no, o vice-presidente da Câmara de Cascais: “Temos informação georrefere­nciada de todos os testes e conseguimo­s perceber quais as zonas mais afetadas”, explica Miguel Pinto Luz, concluindo que as desigualda­des sociais são o ponto central que será preciso combater através de políticas urbanístic­as centradas não apenas nos serviços de saúde, mas igualmente nas estratégia­s de mobilidade e de habitação. Será que a covid-19 vai mudar a forma como o poder político local pensa as regras do urbanismo? “Nós já estamos num processo de revisão do nosso Plano Diretor Municipal, procurando, por exemplo, enfatizar o papel da agricultur­a e das hortas urbanas para aproximar os pontos de abastecime­nto à cidade”, explica o autarca, referindo que o município tem sentido “um crescente movimento pendular de pessoas a querer sair de Lisboa e vir para Cascais.” Habitação, serviços e transporte­s são, aliás, áreas determinan­tes nas cidades pós-pandémicas, defende Miguel Eiras Antunes, global leader para as smart cities da Deloitte: redacao@dinheirovi­vo.pt “Uma cidade inteligent­e aproveita as boas ideias vindas de onde vierem.” —MIGUEL GASPAR Vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa