Jornal de Negócios : 2020-07-10

PRIMEIRA LINHA : 6 : 6

PRIMEIRA LINHA

SEXTA- FEIRA 10 JUL 2020 6 | | PRIMEIRA LINHA O CASO EDP 2003/2004  PRINTED AND DISTRIBUTE­D BY PRESSREADE­R PressReade­r.com +1 604 278 4604 . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY ORIGINAL COPY COPYRIGHT AND PROTECTED BY APPLICABLE LAW Em 2003 o Ministério da Economia é de Carlos Tavares. Franquelim Alves é secretário de Estado. No gabinete estão João Conceição e Ricardo Ferreira. Este transita para o Executivo de Santana Lopes, no qual Mexia foi ministro das Obras Públicas, saído da Galp, que emprega Rui Cartaxo. Miguel Barreto, também arguido neste caso, é nomeado para a Direção-Geral de Geologia e Energia (DGEG) pelo ministro da Economia Carlos Tavares, no Governo de Durão Barroso (coligação entre PSD e CDS), requisitad­o à BCG. A Boston Consulting Group cedeu ao Governo de Durão Barroso o quadro João Conceição (na foto) que em 2004 volta à consultora. Ricardo Ferreira transita da BCG para o Governo de Durão Barroso, e mantém-se no Executivo de Santana Lopes. Miguel Barreto transita da BCG para a DGEG. A EDP é liderada por João Talone. João Manso Neto já está na elétrica, na qual entrou em 2003 pela EDP Produção, depois de uma passagem pelo BPN (2002 e 2003), transitado do BCP. Em 2005, foi eleito presidente da HC Energia. A REN é presidida em 2004 por José Penedos (condenado depois no caso Face Oculta), acompanhan­do-o no conselho Henrique Gomes (que viria a ser secretário de Estado de Passos Coelho), Aníbal Santos, Victor Baptista e Paulo Soares de Pinho. Ricardo Salgado é o presidente do BES, o banco que viria a cair em 2014, depois de uma medida de resolução do Banco de Portugal. Manuel Pinho é, nestes anos, administra­dor em empresas do BES. António Mexia tinha sido quadro do BES até 1998.

© PressReader. All rights reserved.